Jornal Goiás Em Foco - O Jornal Digital de Goiás

MENU
Logo
Quarta, 28 de julho de 2021
Publicidade
Publicidade

Polícia

Fiscais de Aparecida multam quase mil pessoas sem máscara em 14 festas clandestinas

596 multas pelo não uso do equipamento de proteção, que é obrigatório, foram apenas em uma festa clandestina onde estavam 750 pessoas

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A força-tarefa de fiscalização da Prefeitura de Aparecida de Goiânia deu continuidade neste sábado, 12, da operação que verifica o cumprimento das regras e normas de combate a transmissão da covid-19 na cidade. Somente nesta madrugada os fiscais encerraram 14 festas clandestinas em diversos bairros do município, seja em residência ou espaços de eventos. Ao todo foram vistoriados 61 estabelecimentos onde 3 foram interditados por irregularidades; 910 pessoas foram multadas pelo não uso de máscara em local público; 7 carros com som automotivo e 9 caixas de som mecânico foram apreendidos e encaminhados para o pátio da SEMMA. 

Em uma única festa clandestina, uma vaquejada em uma chácara no Setor Santa Luzia, foram flagradas 750 pessoas onde 596 estavam sem máscara e foram multadas em R$ 111 cada uma. O espaço foi multado em R$ 65 mil por diversas irregularidades incluindo a promoção de aglomeração de pessoas. Um outro estabelecimento interditado e multado fica na Vila Brasília. No local foram encontradas pessoas sem máscara, aglomeração. "Neste ponto, que é reincidente, o proprietário não apresentou os documentos necessários para funcionamento, pois já havia sido interditado anteriormente, além de extrapolar horario permitido de funcionamento", sublinhou o sub-coordenador da força-tarefa, Delazaro Gomes. 

Um restaurante no Jardim Helvécia também foi interditado e multado por promover a aglomeração de pessoas e não respeitar as regras de funcionamento como distanciamento das mesas. As outras festas clandestinas foram encerradas nos setores Colina Azul e Comendador Walmor, locais onde foram apreendidos os sons mecânicos e os carros com som automotivo por perturbação do sossego público. "As denúncias chegam pelos telefones da Guarda Civil e da SEMMA. A maioria moradores indignados com as festas e aglomerações promovidas por pessoas que elas dizem ser irresponsáveis, pois ainda vivenciamos uma pandemia", comentou o sub-coordenador. 

A força-tarefa de Fiscalização é formada por fiscais das secretarias da Fazenda, Meio Ambiente (Semma), Planejamento e Regulação Urbana, agentes da Vigilância Sanitária e da Guarda Civil Municipal (GCM).

Fiscalização – Caso o morador flagre alguma irregularidade ou descumprimento das regras sanitárias, pode acionar as equipes de fiscalização pelos canais de denúncia: 3545-5992 ou 153; além dos números 3238-7216 ou 98459-1661 para perturbação do sossego público.

Cenário – Aparecida está no cenário verde, de risco baixo, do isolamento social intermitente por escalonamento regional das atividades econômicas. Os comércios não essenciais fecham uma vez por semana, conforme a macrozona em que se encontram e a cada dia, de segunda a sexta, fecham duas das dez macrozonas da cidade.

Festas e eventos podem ser realizados seguindo regras estipuladas por portaria específica após aprovação do Comitê de Prevenção e Enfrentamento a Covid-19 de Aparecida, como o local ter todos os alvarás e documentação; apenas 30% da capacidade do local, limitando a 100 pessoas; álcool em gel e medição de temperatura; uso de máscara e distanciamento de 1,5 m entre as mesas. Shows ao vivo também são permitidos, as sem pista de dança. Bares e restaurantes foram liberados para funcionar, mas também precisam seguir série de regras e ter toda documentação.

 

 

 

   Brunno Moreira

Jornalista ®0004120/GO

Fonte/Créditos: Jornal Goiás em Foco

Créditos (Imagem de capa): Reprodução Secom-Ap

Comentários:

Ólá,a equipe Jornal Goiás em Foco retornará seu contato em instantes!!