Jornal Goiás Em Foco - O Jornal Digital de Goiás

O assassino do Soldado Walisson Miranda da CPE de Aparecida

Família e amigos clamam por justiça.

Photo:Brunno Moreira

Após uma semana do assassinato do Soldado do Comando de Patrulhamento Especializado de Aparecida de Goiânia CPE. A polícia civil ainda não apresentou nenhum suspeito da autoria do disparo que tirou a vida do militar enquanto trabalhava. Alisson Miranda estava em uma viatura descaracterizada quando uma caminhonete passou e efetuou um disparo que atingiu a cabeça do soldado e o braço de um outro policial que estava abordo da viatura. Passado uma semana, o caso ainda é cheio de mistérios entorno da motivação. Em entrevista concedida para uma emissora de televisão local, a mãe do jovem policial morto desabafa e relata que até o momento nenhuma resposta foi dada e quer justiça.

O caso pode ser mais complexo do que aparenta tendo possiblidades de tomar novos rumos nos próximos dias, a delegacia de investigações de homicídios de Aparecida de Goiânia (DIH) vem mantendo em sigilo as investigações, mas diversas especulações circulam nas redes sociais e até mesmo em canais de televisão que se trata de um possível envolvimento de um outro policial de uma instituição diferente. Relato que não foi confirmado pela polícia civil, mas de acordo com o Delegado do caso Charles Ricardo Lobo Júnior, nenhuma possibilidade foi descartada. 

As principais dúvidas do caso

 .Quem matou o Soldado Walisson Miranda?

.Um único tiro, o autor é experiente com armas?

.O porque que não houve revide?

.Havia quantos na viatura descaracterizada?

.O porque na demora para solucionar o caso?

.Existe algum suspeito já identificado?

.Foi feito uma reconstituição sem possíveis autores? 

Essas são algumas perguntas que a sociedade faz para as autoridades da segurança pública do estado.

 

Fonte

Repórter Brunno Moreira
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

O assassino do Soldado Walisson Miranda da CPE de Aparecida

Repórter Brunno Moreira

Após uma semana do assassinato do Soldado do Comando de Patrulhamento Especializado de Aparecida de Goiânia CPE. A polícia civil ainda não apresentou nenhum suspeito da autoria do disparo que tirou a vida do militar enquanto trabalhava. Alisson Miranda estava em uma viatura descaracterizada quando uma caminhonete passou e efetuou um disparo que atingiu a cabeça do soldado e o braço de um outro policial que estava abordo da viatura. Passado uma semana, o caso ainda é cheio de mistérios entorno da motivação. Em entrevista concedida para uma emissora de televisão local, a mãe do jovem policial morto desabafa e relata que até o momento nenhuma resposta foi dada e quer justiça.

O caso pode ser mais complexo do que aparenta tendo possiblidades de tomar novos rumos nos próximos dias, a delegacia de investigações de homicídios de Aparecida de Goiânia (DIH) vem mantendo em sigilo as investigações, mas diversas especulações circulam nas redes sociais e até mesmo em canais de televisão que se trata de um possível envolvimento de um outro policial de uma instituição diferente. Relato que não foi confirmado pela polícia civil, mas de acordo com o Delegado do caso Charles Ricardo Lobo Júnior, nenhuma possibilidade foi descartada. 

As principais dúvidas do caso

 .Quem matou o Soldado Walisson Miranda?

.Um único tiro, o autor é experiente com armas?

.O porque que não houve revide?

.Havia quantos na viatura descaracterizada?

.O porque na demora para solucionar o caso?

.Existe algum suspeito já identificado?

.Foi feito uma reconstituição sem possíveis autores? 

Essas são algumas perguntas que a sociedade faz para as autoridades da segurança pública do estado.

 

Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )